Skip to content

Confidências de uma madrinha

16/06/2009

ConfidênciasMadrinha

Olá! Sou a Alexandra, e estou ligada ao P.T.N. pelo que não posso definir senão como… laços de amor!

Sou prima da Paula, a responsável pela gestão deste local onde tantos animais abandonados e maltratados têm encontrado, ao longo dos anos, um refúgio seguro e confortável, onde lhes são proporcionados os melhores cuidados e os maiores carinhos – e a partir de onde são reencaminhados, sempre que isso é possível e aconselhável, para outros lares onde lhes sejam garantidos o aconchego e o bem-estar que tanto merecem.

Por outro lado, porque também amo os animais e sofro ao presenciar a negligência e as crueldades de que são vítimas – a maior parte das vezes por ignorância, e também por irresponsabilidade, mas, infelizmente, por pura maldade, em muitos casos – aplaudo com entusiasmo todas as iniciativas semelhantes ao projecto do P.T.N.. – do qual, como é evidente, sou apoiante incondicional desde o início, e para cujo desenvolvimento tenho procurado contribuir o melhor que me é possível, sempre ciente, no entanto, de que tudo o que possa fazer será sempre pouco, pois as necessidades a que há que fazer face diariamente são, como devem calcular, imensas.

Uma das coisas que muito me alegra ter a oportunidade de fazer, é colaborar na divulgação do projecto e das actividades do P.T.N. – e sabendo que, para tal efeito, não há, hoje em dia, melhor meio do que a Internet, é com o maior gosto que vou desenvolvendo e mantendo actualizado este espaço virtual, para que um público cada vez mais alargado conheça a existência de mais esta iniciativa particular, dedicada, como muitas outras – e todas nunca são demais – à nada fácil missão de socorrer animais em situações precárias e, muitas vezes, de risco.

Mas há outra coisa… algo muito, muito especial… um contributo que prezo e me gratifica mais que nenhum outro – e que consiste no facto de ser…

… A ORGULHOSA MADRINHA DE SEIS DOS MARAVILHOSOS HABITANTES CANINOS DO P.T.N.!

São eles:

* Três residentes permanentes – o TUTA, o JOEL, e, mais recentemente, o PORTO;
* Três residentes temporárias (pois aguardam que as adoptem) – a PAPOILA, e, ultimamente, a NHÓNHÓ, e a SBUSKA!

Gosto muito dos meus afilhados, e, se pudesse, levava-os a todos (e a mais alguns…) para minha casa… mas, como já lá vivem oito (três dos quais, por sinal – a GUIÇA, o MINKY e o CRISPIM – são irmãos do TUTA e do JOEL), e como nem todos são, como costuma dizer-se, “bons de assoar”… o resultado seria, no mínimo, uma grande confusão! Assim, a melhor solução é mesmo contribuir para que, aqui no P.T.N. (os três “meninos” a título permanente, e as três “meninas” até serem recebidas em novos lares) continuem a usufruir do melhor que a vida tem para lhes dar!

Ora acontece que há, aqui, muitos mais amiguinhos a precisarem de PADRINHOS e de MADRINHAS, ou seja, de alguém que ajude o P.T.N. a fazer face aos encargos inerentes à sua manutenção, pois as despesas são, como já referi, muitas, e os recursos… são poucos!

Venho, portanto, desafiar-vos a apadrinhar um ou mais desses amiguinhos!

Para saberem como podem fazê-lo, convido-vos a visitarem a seguinte página:

AMIGOS, PROTECTORES, PADRINHOS… ou tudo ao mesmo tempo!

E para terem uma ideia de algumas despesas específicas em que podem comparticipar, ou dos vários artigos com que também podem contribuir, visitem, a seguir, a página:

Lista de coisas para os afilhados, protegidos, e outros amiguinhos que vivem no P.T.N.

Finalmente, para escolherem o ou os vossos afilhados, visitem as páginas:

Precisam de padrinhos

“Alma de Cão” – Histórias do Parque, com amor (sim, alguns destes amiguinhos, quase todos residentes permanentes, precisam também muito de um padrinho ou de uma madrinha!)

Precisam de casa nova (se não puderem dar uma casa nova a estes amiguinhos, podem apadrinhá-los, entretanto!)

Como protectora e madrinha de tantos afilhados, todos eles tão queridos, posso assegurar-vos que esta é uma experiência extremamente compensadora. Só as manifestações de afecto com que nos recebem sempre que os vistamos – e que, no caso dos meus afilhados, vão dos entusiásticos “encontrões”, que quase me atiram de cangalhas… e que são os equivalentes “caninos” a abraços carinhosos… às múltiplas lambedelas, “trinquinhas” meigas, saltos, e outras exibições de ternura – são, já de si, a melhor recompensa que pode haver!

Mas, mesmo aqueles cujos padrinhos ou madrinhas não podem visitá-los, por viverem longe, são do mais eloquente que existe, no que toca a demonstrarem o seu reconhecimento. Realmente, quem os vê, correndo felizes, ou confortavelmente instalados, com as suas barriguinhas bem cheias de boa comida, bem tratados e acarinhados pela equipa e os AMIGOS do P.T.N. , consegue perfeitamente identificar, nas suas abanadelas de cauda, e nos seus olhares e latidos expressivos, aquilo que querem transmitir aos que contribuem para o seu bem-estar e felicidade:

A sua profunda e eterna… GRATIDÃO – ÃO – ÃO!

~

One Comment leave one →
  1. 01/07/2009 4:27

    ola
    estou com um problema, uma pessoa amiga faleceu e deixou dois belos caes de raça huskie, eles sao espetaculares e so nao fico com eles porque moro na cidade e tenho 4 caes comigo, um serra da estrela um pastor alemao um akita inu e outro rafeirito do meu coração, deixo o link do blog que fiz para os dois huskies, se puderem passar a mensagem agradecia, muita sorte com o vosso projecto é o que eu desejo.

    http://vidasdecao.blogspot.com/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: